O Transtorno de personalidade Borderline (também conhecido como “transtorno de personalidade limítrofe”) manifesta-se essencialmente por um padrão de comportamento marcado pela impulsividade e instabilidade de afetos, relacionamentos interpessoais e autoimagem.

O termo “borderline”, que em inglês significa “fronteiriço”, teve origem na psicanálise: esses pacientes não podiam ser classificados como neuróticos (ansiosos e exagerados), nem como psicóticos (que enxergam a realidade de forma distorcida), mas estariam em um estado intermediário entre esses dois espectros.

Elas estão no limiar entre euforia e depressão. É como uma corda bamba: a qualquer momento, podem sair da linha, e isso acontece o tempo todo.

Essas características tornam a vida das pessoas com esse transtorno muito difícil, trazendo grandes impactos nas relações interpessoais e em vários campos da vida – desde profissionais até relacionamentos pessoais.

Quem possui o transtorno, costuma ver as coisas em extremos, como se tudo fosse muito bom ou muito ruim. Além disso, suas opiniões sobre outras pessoas também podem mudar rapidamente.

Um indivíduo que é visto como amigo um dia, pode ser considerado inimigo ou traidor no dia seguinte. Esses sentimentos inconstantes podem levar a relacionamentos intensos e instáveis.

Quais as causas do transtorno?

Os sintomas do Transtorno de Personalidade Borderline podem surgir devido a acontecimentos rotineiros, como ir de férias ou alterações de planos, provocando ações de revolta intensos.

No entanto, são mais comuns em indivíduos que viveram experiências emocionais fortes enquanto criança, como enfrentar uma doença, morte ou situações de abuso sexual e de negligência, por exemplo.

O diagnóstico é bem mais frequente entre as mulheres, mas estudos sugerem que a incidência seja igual em ambos os sexos.

O que acontece é que elas tendem a pedir mais socorro, enquanto os homens são mais propensos a se meter em encrencas por causa de comportamentos de risco.

Nem todo mundo com Transtorno de Personalidade Borderline experimenta todos os sintomas. Alguns indivíduos experimentam apenas alguns, enquanto outros apresentam muitos.

Viver com transtorno de personalidade limítrofe ou estar em um relacionamento com alguém com TPB pode ser estressante.

De certa forma, é muito difícil reconhecer e aceitar a realidade do transtorno, mas o tratamento pode ajudar.

Se você está preocupado com o fato de que você ou alguém próximo possa ter Transtorno de Personalidade Borderline, entre em contato e agende uma consulta.

Deixe seu Comentário

Sobre mim

Dr. José Dircksen é um profissional que atua no ramo de atividade de Psiquiatria e Medicina Psicossomática.

Horário de Atendimento

Seg - Sex: 8.00 am - 6.00 pmSábado: 10.00 am - 3.00 pmDomingo: Sem atendimento

Contatos

Telefone: (47) 3521-0289R. Roberto Kock, 621 - SumaréRio do Sul - SCVeja mais