Muitas vezes confundido com timidez, o mutismo seletivo é na realidade um transtorno de ansiedade infantil complexo, caracterizado pela dificuldade da criança em se comunicar verbalmente em certas situações sociais.

É importante frisar que o mutismo seletivo não é timidez e, nem mesmo, transtorno da fala. Essa distinção é fundamental para que sejam utilizadas as estratégias certas no tratamento.

Uma criança tímida, por mais que, em determinada situações, fale poucas palavras, não deixa de se comunicar.A timidez afeta, principalmente, o dinamismo e o contato físico do aluno com as outras pessoas. Mas, de forma alguma, essa criança se recusará a verbalizar as palavras.

Quando a criança manifesta um quadro de mutismo seletivo, ela simplesmente vai se comunicar somente com pessoas que fazem parte de seu hábito diário. Fora desse contexto, não há comunicação.

Como identificar o mutismo seletivo?

As características associadas podem incluir timidez excessiva, medo de constrangimento, isolamento e retraimento sociais, apego afetivo excessivo, traços compulsivos, negativismo, ataques de birra ou comportamento de oposição leve.

Elas costumam falar em casa e brincar normalmente com os irmãos, mas se mantém caladas na presença de um adulto ou de crianças estranhas.Às vezes essas crianças não conseguem nem pedir para ir ao banheiro na escola.

As causas do mutismo ainda são desconhecidas. Pode se desenvolver de diferentes maneiras, de forma progressiva (iniciando a partir de uma timidez excessiva), diante de situações potencialmente estressantes como a mudança de residência de uma cidade a outra ou de um país a outro, ou pode aparecer abruptamente.

E apesar de poder ser percebido ainda na infância, a condição pode se estender pela adolescência e pela vida adulta sem ser de fato diagnosticado.

Em fase adulta, este indivíduo sofrerá as mesmas situações, porém, em ambientes de trabalho, universitário ou sociais e a dificuldade em relacionar-se permanecerá a mesma caso não tenha conseguido desenvolver habilidades para lidar com este transtorno de ansiedade tão específico.

Existe tratamento para esse transtorno?

As formas mais efetivas de tratamento incluem terapia comportamental e cognitiva. O trabalho em conjunto com um profissional especialista em psiquiatria da infância e adolescência é de extrema importância para que o caso seja conduzido da maneira mais adequada.

A terapia é uma das melhores formas de tratamento do quadro de mutismo seletivo. É por meio da psicoterapia que o paciente consegue lidar com sua ansiedade, entender seus gatilhos e lidar com suas emoções e sentimentos.

Deixe seu Comentário

Sobre mim

Dr. José Dircksen é um profissional que atua no ramo de atividade de Psiquiatria e Medicina Psicossomática.

Horário de Atendimento

Seg - Sex: 8.00 am - 6.00 pmSábado: 10.00 am - 3.00 pmDomingo: Sem atendimento

Contatos

Telefone: (47) 3521-0289R. Roberto Kock, 621 - SumaréRio do Sul - SCVeja mais