Talvez você já tenha ouvido falar a respeito da síndrome de Estocolmo em filmes e séries. Inclusive, a série La Casa de Papel, um grande sucesso recente da Netflix, retratou um pouco do que se trata essa síndrome, mas é preciso entender a razão disso acontecer.

Mas de onde surgiu essa síndrome?

A origem do termo Síndrome de Estocolmo, surgiu na década de 70, num assalto a banco na Suécia.

Um presidiário fugitivo junto a um comparsa fez reféns num banco e ao final, apesar de toda dificuldade, os reféns relataram que não tinham maus sentimentos com os sequestradores e ainda, que temiam mais a polícia que seus captores, sendo que duas das vítimas se casaram com os sequestradores após o término do processo.

A Síndrome de Estocolmo é um estado psicológico em que uma pessoa passa a ter simpatia, admiração e até mesmo se apaixona por seu agressor.

As vítimas desenvolvem uma série de sentimentos positivos em relação aos seus agressores, simpatia pelos objetivos e pelas causas dos agressores e sentimentos negativos em relação à polícia e à outras autoridades.

Não apenas em uma relação entre criminoso e refém, mas a síndrome pode acontecer em qualquer tipo de relação, em que um dos dois abusa do poder, intimidando o outro, ameaçando-o e causando danos físicos ou psicológicos. Inconscientemente, a vítima busca por aprovação e a síndrome começa a se desenvolver.

Há relutância em aceitar a condição…

É importante ressaltarmos que, na maioria dos casos, as vítimas não reconhecem o quadro da síndrome e não acreditam que tenham sido vítimas da situação, o que dificulta a indicação de tratamento nos casos em que há sequelas psicológicas graves.

E por se tratar de um problema de foro psicológico, uma vítima da síndrome de Estocolmo precisa receber acompanhamento médico, que deve ser realizado especialmente por psicólogos e psiquiatras.

Dependendo do caso específico de cada paciente, podem ser receitados antidepressivos e ansiolíticos com a finalidade de reduzir ou cessar sintomas de depressão e ansiedade.

Se você suspeita que você ou uma pessoa próxima ou está realmente passando por algum quadro de sofrimento mental, desde estresse, ansiedade ou até transtornos alimentares, depressão e estresse pós-traumático, busque ajuda.

Deixe seu Comentário

Sobre mim

Dr. José Dircksen é um profissional que atua no ramo de atividade de Psiquiatria e Medicina Psicossomática.

Horário de Atendimento

Seg - Sex: 8.00 am - 6.00 pmSábado: 10.00 am - 3.00 pmDomingo: Sem atendimento

Contatos

Telefone: (47) 3521-0289R. Roberto Kock, 621 - SumaréRio do Sul - SCVeja mais