Quando alguém que você conhece e ama está clinicamente deprimido, você quer estar presente para essa pessoa. Muitas vezes, saber que ela precisa de ajuda, como fazer terapia, é essencial.

Ainda assim, tenha em mente que seu amigo ou ente querido tem uma condição clínica séria. Dar apoio pode significar mais do que apenas oferecer um ombro para chorar.

O primeiro passo nessas situações é o diálogo. Uma conversa de forma honesta e aberta. Mostre que a pessoa pode se abrir e que vai encontrar um porto seguro em você.

Por ser um diálogo que pode ser desconfortável, o ideal é que seja num ambiente onde a pessoa se sinta confortável e seguro.

A negação faz parte e às vezes ela persiste mesmo durante o processo de acompanhamento. É sempre importante respeitar o tempo e o limite de cada pessoa, pois nem sempre é fácil admitir ou perceber que estamos sofrendo ou angustiados.

Na maioria das vezes, não basta apenas recomendar que se busque um tratamento, é necessário conduzir a pessoa de forma que ela chegue ao atendimento: marcar uma consulta junto com ela, acompanhá-la no dia da terapia e se mostrar disponível para as orientações que o médico e/ou o psicólogo vão passar.

Convencer alguém sobre a necessidade de tratamento é um processo que pode ser muito lento e envolve momentos de tensão, quebra de confiança e incertezas.

Por isso, você, que estará ajudando, também pode buscar ajuda para si. Sentimentos de medo, culpa e raiva são comuns e saber lidar com cada um é muito importante para não tornar a situação ainda mais grave.

Deve-se sempre tomar muito cuidado para não criar ou imaginar diagnósticos por conta própria e firmar esta ideia, nem mesmo para tentar usar disto para convencer e levar a pessoa para uma ajuda. Isto é muito comum de acontecer e normalmente causa grandes conflitos e angústias.

Somente os profissionais podem de fato diagnosticar e saberão junto ao paciente diferenciar os sintomas de um quadro fixo dos sintomas passageiros, por exemplo, diferenciar tristeza de depressão.

Se o seu amigo ou familiar enfrenta esse problema e possui um grande desafio interno para buscar tratamento, apoio e paciência são necessários mais do que nunca.

Deixe seu Comentário

Sobre mim

Dr. José Dircksen é um profissional que atua no ramo de atividade de Psiquiatria e Medicina Psicossomática.

Horário de Atendimento

Seg - Sex: 8.00 am - 6.00 pmSábado: 10.00 am - 3.00 pmDomingo: Sem atendimento

Contatos

Telefone: (47) 3521-0289R. Roberto Kock, 621 - SumaréRio do Sul - SCVeja mais